Benchmarking e a Comunidade da Nova Economia

Por: Lincoln Tavares de Melo

Empresas como a Padaria Real e LSG Sky Chefs desejam criar uma Comunidade Inclusiva baseada nos valores da Nova Economia

Em meio a líderes de empresas multinacionais, diretores, CEOs de diversos países e personalidades ligadas a movimentos sociais um padeiro do interior de São Paulo rouba a cena com uma fala absolutamente empática e apaixonada. O local? A Sede da Organização das Nações Unidas – ONU, em Nova Iorque. O nome do padeiro? José Eduardo de Souza, conhecido por todos como “Doia”, um dos proprietários da Padaria Real, tradicional padaria de Sorocaba, cidade a cerca de 90 quilômetros de São Paulo, conhecida pela saborosa coxinha, eleita por muitos como “a melhor coxinha do Brasil”. O evento? A 2ª edição do Prêmio Reconhecimento Global “Boas Práticas de Empregabilidade para Trabalhadores com Deficiência”, realizado em 3 de dezembro de 2018, durante a celebração do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

“Nós nunca imaginamos sair de Sorocaba, uma cidade no interior do Estado de São Paulo e receber um reconhecimento na Sede da ONU, em Nova Iorque. Então, é motivo de satisfação, prazer e um orgulho muito grande pra gente. Gratidão ao meu pai que começou com tudo isso, gratidão aos nossos colaboradores, gratidão aos nossos clientes. Esse assunto (inclusão de pessoas com deficiência) é muito importante para nós, porque se trata de gente, se trata de seres humanos. E essa causa nós sempre valorizamos e sempre acreditamos”, disse Doia no início de sua fala no referido evento.

Relação Sujeito / Sujeito e a Gratidão

Não é de hoje que a Padaria Real chama a atenção pela gestão horizontal e o “jeitão” caloroso e humano que trata seus clientes e colaboradores. É o que o empresário, educador e escritor Roberto Tranjan referencia quando discorre sobre a relação sujeito / sujeito. Ou seja, gente lidando com gente. “Primeiramente, é preciso identificar com lucidez o que é sujeito e o que é objeto no mundo dos negócios. Sujeito é geralmente representado pelo pronome ‘quem’. Quem planeja, elabora, produz, atende, serve é sujeito. Quem demanda, compra, consome, usufrui e é servido também é sujeito. Todo o resto é objeto: o produto, o maquinário, o processo, os insumos, os controles, a nota fiscal, a duplicata, a comercialização, o dinheiro e o balanço. O econômico tende a transformar tudo em objeto. O ‘quem’ é tratado como coisa, não importa se faz ou compra”, explica Tranjan.

Mas na chamada “Nação Real” até o objeto é reconhecido como sujeito graças a um dos valores fundamentais da empresa: a gratidão. E foi graças a esse exercício de gratidão que um dos líderes da padaria decidiu “batizar” todo o maquinário do setor de pães com nome próprio e trata-los como sujeitos. Daí este líder colocou cartazes nas maquinas com os seguintes dizeres: “Olá! Estou há tanto tempo contigo, mas ainda não tenho nome”. A partir daí, foram colhidas sugestões e, em seguida, foi realizada uma reunião para escolher os nomes que mais combinavam. Aquela pessoa que sugeriu o nome vencedor passaria a ser o (a) padrinho (a) daquele equipamento. A geladeira, por exemplo, passou a ser chamada de “Elza Frozen”. Neste sentido, já não era mais admissível que a porta fosse batida com violência, ou mesmo que se chutasse a mesma para que ela funcionasse. Se eles tratam os equipamentos assim, imagine então como eles tratam as pessoas? 

Foto colorida do setor de produção de pães da Padaria Real, de Sorocaba. Em destaque, com os braços abertos, o líder Joel recepciona diversos líderes da LSG Sky Chefs; À sua frente, uma mesa com diversos panetones.
O líder Joel, autor da ideia de “batizar” todos os equipamentos do setor de pães da Padaria Real.

Criando uma Comunidade Inclusiva da Nova Economia

Em 2018 levamos cerca de 40 líderes e gestores de uma das nossas clientes, a LSG Sky Chefs, empresa multinacional de catering aéreo do Grupo Lufthansa, para conhecer a produção da Padaria Real, em Sorocaba. Foram dois grupos com cerca de 20 líderes cada que passaram uma manhã nas unidades do Centro (Matriz e distribuidora) e da Boa Vista com o objetivo principal de conhecer o Programa de Diversidade e Inclusão da Padaria Real, bem como, trocar experiencias e conhecimentos (o chamado benchmarking). Mas a conexão criada entre as duas empresas foi muito além da “relação profissional”.

Foto colorida com cerca de 20 líderes das empresas LSG Sky Chefs e Padaria Real numa sala de reuniões, celebrando o primeiro encontro de benchmarking entre as empresas.
Foto com a primeira turma de benchmarking entre a LSG Sky Chefs e a Padaria Real.

O Diretor da LSG Sky Chefs Brasil, Rodrigo Fernandes, que esteve à frente dos grupos de líderes que visitaram as unidades da Padaria Real ficou pessoalmente tocado pela experiência de network e nos contou que a sua cozinha quente, na área de cocção colocou em prática o impacto causado pela referida visita para colaboradores e clientes. Inspirado pela experiência Rodrigo pediu que os novos equipamentos adquiridos recentemente também fossem “humanizados” com nomes próprios e com a recomendação que fossem tratados como sujeitos e não como objetos. Ambas as empresas participam de diversos processos de educação da Consolidar e, invariavelmente, seus líderes e colaboradores se encontram.

Foto colorida com cerca de 20 líderes das empresas LSG Sky Chefs e Padaria Real numa sala de reuniões, celebrando o segundo encontro de benchmarking entre as empresas.
Cerca de 25 líderes e colaboradores da Padaria Real e LSG Sky Chefs celebram o segundo encontro de benchmarking em 2018.

Estas empresas, ou “obras”, como costumamos dizer, tem algo em comum: o desejo de criar uma comunidade inclusiva. Característica, aliás, de empresas da chamada “Nova Economia”, empresas inovadoras que procuram – também inspiradas pela diversidade e inclusão – desenvolver mercados éticos, humanos e prósperos.

 


Categorias desse artigo:
Boas Práticas de DiversidadeComunicação InclusivaDiversidade e InclusãoFique por DentroPessoas com deficiênciaSem categoria